Publicado por: fatecti | abril 14, 2012

O ultimo ‘post’

Olá senhores e senhoritas, este é o nosso último ‘post’, o mantenedor que vos escreve não mais o atualizará. O motivo é o famigerado ‘tempo’ e novos projetos.

No dia sete de setembro de dois mil e sete foi publicado o primeiro ‘post’, de lá para cá procuramos inicialmente dar suporte as aulas, com notícias, recados de professores, downloads de apostilas e material de aula, debates (em todos os níveis), avisos em geral (inclui palhaçadas) e projetos. Em seu pós-curso, teve o intuito de publicar notícias relacionadas à área e sobre a carreira profissional do Tecnólogo em TI.

A origem do blog, veio das seguidas sucessões desde o 1º semestre (idos de 2006) do ‘site da turma’, sempre com o mesmo foco.

Agradeço a todos que diretamente ou indiretamente contribuíram para o sucesso deste canal de comunicação.

E espero que em algum momento o nosso trabalho tenha sido útil a você.

Um forte abraço e sucesso.

Até a próxima curva!

João Messias, mantenedor (14/04/2012).


Publicado por: fatecti | março 8, 2012

Big Data gera oportunidades para profissionais de TI

Carolyn Duffy Marsan, da CIO (EUA)

Publicada em 08 de março de 2012 às 07h40

 

Cientistas e especialistas de dados Hadoop são muito procurados por empresas de Web e e-varejistas, serviços financeiros, utilities e mídia.

Novas oportunidades de emprego estão surgindo para profissionais de TI na área do Big Data, termo usado para descrever grandes quantidades de dados que precisam ser analisadas em tempo real para conduzir a tomada de decisão e aumentar a lucratividade.

Um novo cargo – cientista de dados – é um bom exemplo. Ele normalmente tem formação em Ciência da Computação e Matemática, bem como as habilidades analíticas necessárias para encontrar a providencial agulha no palheiro de dados recolhidos pela empresa.

“Um cientista de dados é alguém que é curioso, que analisa os dados para detectar tendências”, diz Anjul Bhambhri, vice-presidente de Produtos Big Data da IBM. “É quase como um indivíduo renascentista, que realmente quer aprender e trazer a mudança para uma organização.”

Inédita há 18 meses, a carreira de “cientista de dados” explodiu em popularidade como termo de pesquisa Google. O número de buscas atingiu picos 20 vezes maiores do que o normal no último trimestre de 2011 e no primeiro trimestre de 2012. É o termo de busca mais popular entre os de alta tecnologia em cidades como São Francisco, Washington e Nova York.

Entre as empresas norte-americanas que procuram contratar cientistas de dados estão a PayPal, a Amazon e a HP. Na verdade, o termo “cientista de dados” é mencionado em 195 anúncios de emprego no site Dice.com.

Os departamentos de TI também estão procurando por desenvolvedores e administradores de sistemas que se especializam em ferramentas Hadoop, projetada para uso intensivo de dados e aplicações distribuídas e utilizadas por sites populares como o Yahoo, Facebook, LinkedIn e eBay.

Hadoop é mencionada na maior parte dos anúncios de empregos na Dice.com. Entre as empresas que buscam contratar engenheiros de software e desenvolvedores Hadoop estão AT&T Interactive, Sears, PayPal, AOL e Deloitte.

Hadoop “é uma habilidade emergente”, diz Alice Hill, diretor da Dice.com. “As empresas precisam para gerenciar operações em grande escala, e toda a ideia do Hadoop é que você pode fazer isso com baixo custo. Isso funciona muito bem com o que estamos vendo em movimento para a nuvem.”

Colina vê oportunidades relacionadas com Hadoop para estagiários e até profissionais experientes, tanto na área de hardware como de software. “Há tantas direções”, diz Hill. “É um solo muito fértil para profissionais de TI experientes, mas também para as pessoas saindo com graus de ciência da computação. É uma grande área para se especializar”.

“E o povo de hardware precisa descobrir como trabalhar com diferentes ambientes. Não é apenas sobre a compra de um banco de dados e acessos ao disco rígido. Agora, os bancos de dados estão ligados a múltiplos servidores e múltiplos discos rígidos”, disse Hill diz. Hadoop “é barato, mas exige alguém que realmente saiba como escalar hardware.”

Segundo Hill, Hadoop é também uma boa habilidade para profissionais de TI com experiência em gerenciamento de banco de dados relacional. “Se você realmente entende de estrutura de dados e consultas, vai ter um monte de oportunidades de emprego”, acrescenta ela.

De fato, departamentos de TI não só estão contratando pessoas na área de Big Data, como reciclando alguns dos seus empregados, para adicionar análise de dados e Hadoop às habilidades de cada um. A IBM, por exemplo, retreinou 2,4 mil profissionais de TI em grandes Bootcamps dados que detinha para seus clientes e parceiros no ano passado.

Oportunidades de trabalho para cientistas e especialistas de dados Hadoop estão surgindo em todos os setores, desde empresas de Web e e-varejistas, até serviços financeiros, energia, saúde, utilities e mídia.

“Os departamentos de TI realmente têm de expandir suas plataformas de dados e não se restrigirem aos repositórios de dados estruturados”, diz Bhambhri. “Eles têm de trazer novas fontes de dados não estruturados para suas plataformas com o objetivo de responder às perguntas que executivos C-level estão pedindo para seus processos decisórios. De uma perspectiva de TI, é muito importante para os profissionais não só para identificar esses dados, como para trabalhar com os seus homólogos de negócios para descobrir que outras fontes de dados precisam ser integrados em suas plataformas.”

A IBM tem uma nova iniciativa denominada Big Data University, que visa a formação de estudantes de graduação e pós-graduação na área, expondo-os a Hadoop. Lançado em outubro passado, a Big Data University já atraiu mais de 14 mil estudantes para seus cursos online (são seis, ao todo, relacionadas com Hadoop e Big Data).

“Estamos tentando fazer com que os alunos vejam realmente o potencial do Big Data e que resultados de negócios possam surgir dessas novas fontes de dados”, diz Bhambhri. “Estamos bombardeando esses profissionais com estudos de caso nas áreas de saúde, varejo e empresas de telecomunicações. Estamos mostrando a eles o que não era possível antes, e passou a ser agora por causa do trabalho que temos feito com diferentes clientes nesses setores.”

Bhambhri está otimista com as perspectivas de carreira para profissionais de TI. “Em todos os setores, há uma grande quantidade de dados que está sendo capturada, por meio de sensores, logs ou das mídias sociais como o Facebook e o Twitter,” Bhambhri diz. “Os volumes de dados são enormes. Ma até agora não havia tecnologia disponível para analisar esses dados de forma rápida em uma relação custo-benefício. Era um grande gargalo.”

Fonte: http://idgnow.uol.com.br/carreira/2012/03/08/big-data-gera-oportunidades-para-profissionais-de-ti/

Publicado por: fatecti | março 8, 2012

Navita oferece 25 vagas para a área de TI

Até o final 2012, a Navita, especializada em Mobilidade e Telecom, espera fechar seu quadro com cerca de 150 funcionários. Para isso, está com vagas abertas para oportunidades efetivas em São Paulo e Rio de Janeiro – onde a empresa tem escritórios –, para as áreas de Desenvolvimento, Comercial, Gestão de Custo e Serviços de Telecom, Alianças & Parcerias, Pré-Vendas e Analista de Processos Especialista em Information Technology Infrastructure Library (ITIL).

Os cargos pedem fluência na língua inglesa e graduação em engenharia de software, ciência da computação, análise de sistemas e outros cursos voltados à área de TI. No próprio site da empresa [www.navita.com.br], é possível se cadastrar. A forma de contrato é CLT, e a empresa oferece treinamento qualificado, assistência médica, curso de idiomas e extracurriculares, além de vale-refeição e vale-transporte.

Brasileira e focada em gestão de Mobilidade e de Custos de Telecomunicações, a Navita atua em gestão de smartphones e tablets (MDM – Mobile Device Management) e gestão completa de custos de Telecom (T.E.M. – Telecom Expense Management), além de desenvolver aplicativos para as diversas plataformas, como iOS, Windows Phone, Android e BlackBerry.

Publicado por: fatecti | março 8, 2012

BNDES repassa R$ 1,9 bi para Senai reforçar formação em TI

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) acaba de aprovar um empréstimo de 1,5 bilhão de reais para o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai).  O financiamento, corrigido pela Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP) mais 1,4% ao ano, será amortizado em 12 anos.

Com o crédito do BNDES e mais 400 milhões de reais de recursos próprios, o Senai ampliará sua atuação em todo o País. No total, será investido 1,9 bilhão de reais na construção de 53 centros de formação profissional, na compra de 79 unidades móveis e na reforma de escolas. Além disso, serão instalados 23 institutos de inovação e 38 institutos de tecnologia, que darão apoio à indústria.

A ampliação e a modernização das instalações aumentarão a capacidade do Senai de oferecer cursos para formação profissional e soluções tecnológicas para as indústrias.  O objetivo da entidade, um dos principais parceiros do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), do governo federal, é dobrar em dois anos o número de matrículas de educação profissional. Em 2011, a instituição registrou 2,4 milhões de matrículas. A meta é alcançar 4 milhões de matrículas ao ano em 2014.

“O Senai funcionará como um trampolim para a competitividade da indústria brasileira, seja na capacitação da força de trabalho, seja na agenda de tecnologia e de inovação”, explica o diretor-geral do Senai, Rafael Lucchesi. Segundo ele, a qualificação de pessoas e a inovação são decisivas para a indústria agregar valor à produção e ganhar competitividade.

Fonte: http://computerworld.uol.com.br/blog/profissao-ti/2012/03/02/bndes-repassa-r-19-bi-para-senai-reforcar-formacao-em-ti/

DA REUTERS – 08/03/201211h07

Ray Ozzie, o homem que sucedeu Bill Gates como visionário tecnológico da Microsoft, acredita que o mundo tenha superado o computador pessoal, o que pode ter deixado para trás a maior produtora mundial de software.

O computador pessoal, que serviu de fundação ao poderio da Microsoft e ainda determina seu desempenho financeiro, foi deixado para trás por poderosos celulares e tablets acionados por softwares do Google e da Apple, disse o antigo executivo da Microsoft.

“As pessoas discutem se estamos ou não em um mundo pós-PC. Não existe o que discutir: é claro que estamos em um mundo pós-PC”, disse Ozzie em uma conferência sobre tecnologia promovida pelo blog tecnológico GeekWire, em Seattle, na quarta-feira.

“Isso não significa que o computador pessoal vai morrer, mas apenas que, nos cenários em que o usamos, deixamos de nos referir aos aparelhos como computadores e os designamos por outros nomes”, acrescentou.

Ozzie estava fazendo seus primeiros comentários públicos sobre a Microsoft desde que saiu abruptamente da gigante da tecnologia, em 2010. Ele falou horas depois que Tim Cook, presidente-executivo da Apple, a maior rival da Microsoft, enfatizou a emergência do “mundo pós-PC”, criado pelo iPad.

As vendas de celulares inteligentes já superaram as de computadores, e as de tablets estão se aproximando delas rapidamente.

Ozzie, 56 anos, um programador lendário que desenvolveu o aplicativo de e-mail Lotus Notes nos anos 1980 e 1990, foi selecionado diretamente por Gates para o posto de vice-presidente de arquitetura de software da Microsoft em 2006, para fazer de sua capacitação em colaboração via Web a peça central do pensamento da empresa.

Ozzie teve papel central no projeto Azure, da Microsoft –o principal esforço da companhia no campo da computação em nuvem–, mas se demitiu quatro anos depois com a Microsoft ainda atrás da Amazon.com e Google em desenvolvimento para soluções na web.

“Meu trabalho lá era administrar mudanças. Bill (Gates) e Steve (Ballmer, o presidente-executivo) me pediram para estudar a companhia, descobrir o que não funcionava e tentar o melhor para consertar os defeitos”, disse Ozzie.

“Estou feliz com algumas das mudanças que promovemos. A companhia mudou muito, avançou muito, e estou feliz sobre algumas coisas, mas impaciente quanto a outras”, acrescentou.

Ozzie disse que o destino do Windows 8 determinará o futuro da Microsoft. A mais recente versão do sistema operacional funcionará em tablets com chips da ARM, e a Microsoft espera poder competir com o iPad, da Apple, e colocar a companhia de volta no topo da cadeia de consumo tecnológico.

 

Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/tec/1058912-mundo-superou-computador-pessoal-diz-ex-executivo-da-microsoft.shtml

 

Por Da Redação

Publicada em 23 de janeiro de 2012 às 17h50
Atualizada em 23 de janeiro de 2012 às 18h14

CIOs que tratam a TI como uma força de automação operacional, integração e controle perdem terreno para os que a veem como amplificador de negócio.

Estudo recente do Gartner sobre prioridades de negócios e estratégias dos CIOs em 2012 revela que em muitas indústrias os líderes de TI irão se concentrar exclusivamente na eliminação de distorções à medida que enfrentam graves desafios econômicos e financeiros, entre outros. Este é o ano para eliminar a distorção em vez de reduzir o custo dessa distorção. Isso significa entender que a tecnologia tem um papel crescente no incremento da inovação, no crescimento e no funcionamento da empresa e que a sua definição agora incorpora novas combinações dos tradicionais sistemas de TI com dispositivos de consumo e seus respectivos serviços.

“O papel da tecnologia na empresa está aumentando. Isto não significa, no entanto, que o papel do departamento de TI e/ou do CIO está aumentando”, afirma Mark McDonald, vice-presidente de programas executivos do Gartner. “Aplicar a tecnologia como parte da ampliação da empresa reflete mudanças nas estratégias de negócios, e as expectativas executivo sobre o papel da tecnologia na realização dessas estratégias. Eliminar a distorção é uma das maneiras de ampliar o papel da tecnologia na empresa.”

Distorção refere-se à complexidade interna, os custos de duplicação e as redundâncias que consomem esforço sem criar resultados. CIOs e líderes de TI devem considerar como sua estratégia de TI, planos e ações de apoio ampliarão o desempenho – transformando o valor da tecnologia sem criar distorções de feedback ou negativo.

Líderes eficazes usam a tecnologia, que inclui TI, para fortalecer a experiência do cliente e eliminar distorções, enviando sinais mais claros ao mercado. “Mobilidade, social media, informação e análise podem ser usadas para re-imaginar a experiência do cliente, bem como de vendas e canais de serviço Essas tecnologias fazem mais do que automatizar ou administrar processos. Elas são os processos e as fontes de valor”, diz McDonald.

Isso explica Analytics e Business Intelligence no topo do ranking de investimentos para 2012 (ver tabela). OsCIOs estão combinando análises com outras tecnologias para criar novas capacidades. A pesquisa mundial “Amplifying the enterprise: the 2012 CIO Agenda” foi realizado no quarto trimestre de 2011, e incluiu 2.335 CIOs, representando mais de US $ 321 bilhões em orçamentos de TI, abrangendo 37 indústrias em 45 países. Sessenta e um por cento das empresas que responderam à pesquisa disseram também que pretendem melhorar a mobilidade dos negócios ao longo dos próximos três anos.

Fonte: http://idgnow.uol.com.br/computacao_corporativa/2012/01/23/gartner-tecnologia-esta-se-tornando-mais-importante-do-que-de-ti/

Por Gregg Keizer

Publicada em 20 de janeiro de 2012 às 19h44

Muitos internautas usaram a ferramenta de ataque, chamada LOIC, apenas por clicar em um link que tinha um código HTML.

O grupo Anonymous recrutou cúmplices involuntários para participarem do ataque contra sites do governo americano, afirma a Sophos.

Os ataques de negação de serviço foram iniciados horas depois que os Departamento de Justiça dos EUA anunciou a prisão de quatro pessoas associadas ao Megaupload, popular site de compartilhamento de arquivos, por acusações de infração de copyrights, lavagem de dinheiro e extorsão.

Autoridades federais tiraram do ar o Megaupload.com e outros sites relacionados à companhia, incluindo centenas de servidores. Três dos sete suspeitos continuam foragidos, entretanto os outro quatro acabaram presos na Nova Zelândia por autoridades locais e aguardam a extradição para os EUA.

Quase que imediatamente, começaram os ataques a sites como Universal Music, RIAA, FBI, entre outros. Em uma mensagem postada no Twitter, o coletivo de hackers afirmou que esses ataques de DDoS foram os maiores até hoje, e que cerca de 5.600 pessoas colaboraram na operação.

Leia mais: Congresso americano recua e projetos antipirataria saem da pauta

Anteriormente,  o grupo afirmava que os usuários participavam das ações através do famoso LOIC (abreviatura para Canhão de Íons de Baixa Órbita, em tradução livre). Todavia, parte dos 5.600 cúmplices da operação de ontem podem ter participado sem mesmo saber, apontou Graham Cluley, consultor sênior de tecnologia da Sophos.

Conforme explicou Cluley, membros do Anonymous distribuíram links via Twitter que, quando clicados, abriam uma versão web do LOIC. Os links apontavam para uma página do PasteHTML.com, site de hospedagem de código HTLM gratuito, que executava comandos JavaScript para ativar o LOIC contra alvos estabelecidos pelo coletivo de ativistas.

Muitas dessas mensagens não diziam nada a respeito do LOIC ou que acessar o endereço faria o usuário participar dos ataques de negação de serviço, sublinhou Cluley. E o recrutamento do Anonymous para sua campanha continua: uma rápida pesquisa no Twitter publicada pela Gawker indicou que o Link ainda estava sendo compartilhado nesta sexta-feira (20).

Em um blog da Sophos, Cluley relembrou aos leitores que os ataques DDoS foram ilegais e reforçou que é preciso atenção na hora de clicar em endereços. “Os Anonymous esperam que os participantes possam argumentar que eles não tinham conhecimento que participavam de um ataque de negação de serviço e clicaram no link sem saber o que aconteceria se o fizessem” concluiu Cluley.

Fonte: http://idgnow.uol.com.br/seguranca/2012/01/20/usuarios-podem-ter-participado-de-ataques-do-anonymous-mesmo-sem-saber/

Publicado por: fatecti | janeiro 31, 2012

Bradesco vira alvo em novo ataque de hackers a bancos

MÁRCIO NEVES
DE SÃO PAULO

Hackers brasileiros do grupo Anonymous disseram que realizaram um novo ataque a instituições bancárias nesta terça-feira. O site do banco Bradesco foi o alvo da ação de protesto feita pelo grupo. Ontem, a página do Itaú ficou fora do ar por alguns minutos.

Por volta de 10h da manhã de hoje, o site do Bradesco ficou indisponível por mais de dez minutos e apresentou instabilidade e lentidão durante os cerca de 30 minutos em que a Folha realizou tentativas de acesso.

Por nota, a assessoria de imprensa do Bradesco informou que o site recebeu um volume de acessos superior a média e que chegou apresentar intermitência, mas que não chegou a ficar fora do ar.

A Febraban (Federação Brasileira de Bancos) afirmou que os ataques a sites dos bancos, se bem sucedidos, “atingiriam e prejudicariam a população que utiliza os serviços eletrônicos para obter informações e realizar transações bancárias”.

Ainda segundo a entidade, as instituições financeiras têm “mecanismos e contingências capazes de inibir eventuais ataques como os supostamente seriam tentados contra os bancos” e ainda ressaltou que a instituição “vem postulando com empenho a aprovação de lei especifica que criminalize ataques e fraudes eletrônicas”.

#OPWEEKSPAYMENT

O grupo Anonymous diz, por meio de suas contas no Twitter, que a ação é um protesto contra a corrupção e será feita ao longo da semana com o intuito de deixar a cada dia um serviço de internet banking fora do ar por pelo menos 12 horas.

O grupo tem utilizado de uma técnica de ataques de negação distribuída de serviço, o DDOS (um acrônimo em inglês para Distributed Denial of Service), que consiste em bombardear um servidor com pedidos de acesso para um site até que ele atinja o limite de sua capacidade e fique indisponível.

Segundo especialistas em segurança da informação ouvidos pela Folha, este tipo de ataque não oferece grandes riscos a segurança de dados armazenados, mas deve ser acompanhado com atenção para evitar que este ataque seja um disfarce para que os hackers tentem outras formas de ataques e invasões ao servidor alvo.

Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/mercado/1041772-bradesco-vira-alvo-em-novo-ataque-de-hackers-a-bancos.shtml

Publicado por: fatecti | dezembro 20, 2011

Programa oferece bolsas para pesquisadores de TI em 6 países

Estudantes brasileiros interessados em cursar o ensino superior em instituições estrangeiras poderão se candidatar a bolsas por meio das chamadas públicas do Programa Ciência sem Fronteiras (CsF). Os editais, que selecionarão candidatos ao estudo em seis países, foram lançados pela presidente da República, Dilma Rousseff.

A partir de seleções públicas, coordenadas pelo do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq/MCTI) e pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), serão selecionados estudantes para instituições de ensino superior dos Estados Unidos, Reino Unido, Alemanha, Itália, França e Canadá.

Os editais divulgados somam 13 mil vagas. O período de inscrições vai de 13 de dezembro de 2011 a 15 de janeiro de 2012. A previsão do Ministério da Educação é que, a partir de março de 2012, os estudantes selecionados já estejam nos países para os quais se candidataram. Durante os seis primeiros meses, eles terão a possibilidade de frequentar cursos de idiomas no país de destino.

Para candidatar-se às bolsas no exterior, os cidadãos devem atender aos requisitos definidos nos editais. Para ser contemplado, o estudante deverá ter sua candidatura homologada pela instituição de ensino em que estuda no Brasil. A homologação é necessária, porque, ao regressar ao País, a instituição brasileira deverá validar os créditos obtidos pelo estudante no exterior.

Atração de cientistas

Dois outros editais têm o objetivo de trazer estrangeiros ou brasileiros que atuam no exterior. O primeiro, Atração de Jovens Talentos (BJT), é voltado a atrair e estimular a fixação, no Brasil, de jovens pesquisadores residentes no exterior, preferencialmente brasileiros, que tenham destacada produção científica e tecnológica. O segundo, Pesquisador Visitante Especial (PVE), busca fomentar o intercâmbio e a cooperação internacional visando o fortalecimento das pesquisas em temas prioritários por meio de parceria com lideranças internacionais.

A chamada pública – Curso Superior de Tecnologia Sanduíche no Canadá (Tecnólogo Sanduíche), voltada a estudantes de instituições da Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica, permitirá a realização de estudos e estágios em instituições de ensino do Canadá. A seleção dos alunos será feita pelas instituições.

O candidato, depois de pré-selecionado pela instituição, deverá se inscrever na página eletrônica do Programa Ciência sem Fronteiras, em formulário on-line que estará disponível e enviar a documentação descrita no edital.

O primeiro edital do Programa Ciência sem Fronteiras, de 2011, selecionou candidatos para cursos de graduação na modalidade sanduíche em universidades norte-americanas. A chamada pública, coordenada pela Capes, recebeu 7.007 inscrições. Um total de 1,5 mil candidatos foi selecionado e os primeiros 841 embarcam em janeiro de 2012. Os demais seguirão em julho do próximo ano.

Para a seleção foram levados em consideração quatro requisitos: apresentação de proficiência em língua inglesa com nota igual ou superior à solicitada; preenchimento de formulário de inscrição no Institute of International Education (IIE); escolha de curso nas áreas contempladas pelo CsF; e que a instituição tenha homologado a inscrição.

Os alunos que preencheram os requisitos, já selecionados, precisam ainda aguardar que a Capes, por intermédio do IIE, identifique uma instituição para recebê-los nos Estados Unidos. Até o momento, 616 estudantes já estão com suas vagas confirmadas. Para os outros classificados, as universidades americanas farão o mesmo procedimento para seleção e, para possível admissão, vão considerar o histórico escolar, cartas de referência, proposta de trabalho e proficiência em língua inglesa.

O Programa Ciência sem Fronteiras é uma iniciativa do governo federal que busca promover a consolidação, expansão e internacionalização da ciência e tecnologia, da inovação e da competitividade brasileira por meio do intercâmbio de alunos de graduação e pós-graduação e da mobilidade internacional. O projeto prevê a concessão de até 75 mil bolsas de estudo no exterior em quatro anos.

Com informações das agências MEC e MCTI

Fonte: http://computerworld.uol.com.br/blog/profissao-ti/2011/12/14/programa-oferece-bolsas-para-pesquisadores-de-ti-em-6-paises/

Publicado por: fatecti | dezembro 20, 2011

Mercosul e União Europeia lançam escola virtual

Foi lançada em Brasília ontem (6/12), a Escola Virtual do Mercosul, rede de formação e capacitação virtual, integrada por especialistas e instituições com representação nos quatro países do bloco, que tem como objetivo desenvolver a economia digital e promover a integração econômica nesse âmbito.

A escola é um dos principais resultados do projeto Mercosul Digital, iniciativa de cooperação internacional entre a União Europeia (UE) e o Mercosul, e conta com financiamento para 27 meses. Envolve cursos de capacitação online, serviços de informação e comunidades de prática, para micro, pequenos e médios empresários, instituições de ensino e pesquisa, e organizações, dos setores privado e público, nas esferas federal, estadual e municipal, além de atores da sociedade civil.

As temáticas desenvolvidas prioritariamente são da área de comércio eletrônico e abordam assuntos como negócios pela internet, segurança em assinatura digital e eletrônica, redes sociais e posicionamento web, aspectos legais, regulatórios, tributários e alfandegários de comércio eletrônico.

Como principais beneficiários, estão listados: empreendedores, produtores rurais, associações profissionais e organizações públicas que promovem pequenos negócios ou a sociedade da informação.

O diretor da Fundação espanhola Centro de Educação a Distância para o Desenvolvimento Econômico e Tecnológico (Ceddet), Miguel Ángel Feito Hernandez, destacou que o setor em questão “tem grande potencial de criar riqueza e é motor de integração econômica e social entre países”. A instituição lidera o consórcio responsável pelo projeto.

O ministro da Ciência Tecnologia e Inovação (MCTI), Aloizio Mercadante, disse que a integração na área de tecnologia da informação se inspira na história da União Europeia e em sua busca de se transformar na região mais competitiva na “economia da economia da informação e do conhecimento”. Ele observou que o Brasil, por sua vez, é líder no que diz respeito à economia do conhecimento natural, mas que o País e o bloco não podem se acomodar na posição de produtores e exportadores de comodities.

“Nós temos que olhar para a economia do futuro, para a economia do conhecimento, para a economia criativa, para a economia verde sustentável, e tecnologia de informação e comunicação é uma dimensão absolutamente indispensável nesse esforço”, comentou. Ele avaliou que o crescimento da economia eletrônica será rápido como o impacto da internet na vida das pessoas.

*Com informações da Agência MCTI

Fonte: http://computerworld.uol.com.br/blog/profissao-ti/2011/12/07/mercosul-e-uniao-europeia-lancam-escola-virtual/

Older Posts »

Categorias

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.